a partida

os dois estavam à espera.

decidi entrar no que chega mais tarde.

hoje será sempre tarde.

vai lento e eu desejo que nunca lá chegue.

que vá lento. sempre lento.

à falta de um duche de água fria, um comboio lento. de lugares vagos e poucas caras.

preciso de esquecer a tua. não preciso de ver outras.

de desistir e esquecer.

que desapareças sem magoar.

que vás lenta. sem eu dar conta.

lenta. lentamente.

o findar do outono

o teu calor veio com factura simplificada.
e por isso é impossível de se substituir.
tão frio o teu calor. agora.

estória (pt2)

H - está escuro. procuro o teu corpo, vejo-o apenas com as mãos.
M - estás a arrepiar-me. vou ter de me voltar para ti... e procurar os teus olhos...
H - está escuro, lembras-te?
M - eu procuro-os com as mãos. procuro os teus lábios e peço em surdina que me toques outra vez...
H - os dedos percorrem um curto caminho. escondem-se e estão seguros.
M - estás a arrepiar-me! deixa-me prová-los.
H - abraço-te e adormeces pelo doce travo da alfazema.